Motorista de caminhão, uma profissão em extinção
 


Fonte: WebTranspo

O baixo contingente de profissionais qualificados tem dificultado a vida das empresas de transporte na hora de contratar motoristas. Segundo uma pesquisa divulgada pela NTC&Logística, na última semana, 42,5% dos 400 executivos entrevistados afirmaram que a falta deste colaboradores é o principal fator para não atender as necessidades do setor.

Mesmo com um contingente aparentemente grande, são aproximadamente dois milhões de pessoas habilitadas para conduzir veículos pesados no País, ainda há espaço para mais força de trabalho especializada.

Estimativas da associação indicam que por ano, haja um déficit de 120 mil profissionais no setor. E esse número deve aumentar nos próximos anos, segundo a entidade. Tanto é que, em algumas empresas, até 10% da frota está parada por falta de profissionais.
Para Flávio Benatti, presidente da entidade, isso está acontecendo porque os novos profissionais não estão sendo atraídos pela atividade. “Falta interesse do jovem em ser motorista, pois o caminhão é tratado como o responsável pelos grandes males das cidades, principalmente em termos de mobilidade, além de enfrentar muitas adversidades, inclusive de infraestrutura viária”, argumenta.

Segundo Lauro Valdívia, assessor técnico da NTC, outro fator que atrapalha na contratação de novos colaboradores é a condição de trabalho. “O salário não é muito atraente. Além disso, ficar muitas horas, às vezes dias, fora de casa, não ter segurança nas estradas, lugar para refeições ou dormir são pontos que afugentam mão de obra”, aponta.

Outro aspecto, segundo o executivo, é a exigência por qualificação. “Não basta mais ter apenas CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para conduzir veículos pesados, é preciso estar preparado. Os veículos, hoje, possuem muitas tecnologias embarcadas e é imprescindível saber operá-las”, afirma.

Para se ter uma ideia da gravidade da questão, na Total Express, por exemplo, os motoristas que passassem pelo processo seletivo da empresa até o dia 31 de janeiro e fossem contratados seriam beneficiados com uma premiação no valor de R$ 1 mil.

Iniciado há um mês, o processo que oferecia 20 postos de trabalho ainda dispõe de seis vagas para motoristas. Entretanto, segundo informações da empresa, apesar de atrair candidatos, a premiação não atingiu um número suficiente de profissionais qualificados para o cargo.

Os interessados devem estar habilitados na categoria E, possuir o ensino fundamental completo e experiência de um ano na função comprovada na carteira de trabalho.

O salário oferecido é de R$ 1,4 mil mensais, mais variável de até R$ 600. Os candidatos devem ligar para o telefone (11) 2168-3200 (11) 2168-3200 ou enviar e-mail para trabalheconosco@totalexpress.com.br

« voltar